Barata Cichetto: Escritor, Filósofo, Webdesigner, Editor Artesanal - Todos os Textos Publicados Têm Direitos Autorais Registrados no E.D.A. - Reprodução Proibida!
https://presrepublica.jusbrasil.com.br/legislacao/91614/codigo-penal-decreto-lei-2848-40#art-184

quarta-feira, janeiro 10, 2018

O Eu Queria Ser

O Eu Queria Ser
Barata Cichetto


Eu queria saber escrever. Qualquer coisa que fosse, que fosse um romance, fosse o que fosse. Apenas escrever eu queria saber. Eu queria ser escritor, e escrever um romance, algo bem pornográfico, que deixasse os homens de pau duro e as mulheres meladas. Que aumentasse a taxa de ocupação de camas de motel, de puteiros e de muros ou praças. Queria escrever um romance com nada de anormal, apenas um romance que contasse uma história normal, com gente legal. Um romance com jeito bonito, estória romântica, que nem gente grande. Estampar em qualquer formulário a profissão "Escritor". Depois com o dinheiro comprar um casa, pequena que fosse. Nem que fosse em qualquer lugar. Eu daria autógrafos e dedicatórias, até a mão a palmatória, e faria uma oratória explicando o teor filosófico da minha obra. E até comeria a secretária da editora, a apresentadora do programa de televisão, que fosse como fosse, iria me entrevistar. No telejornal. E na frente das câmeras eu faria cara de intelectual, com jeito de imoral, cara de mal, etc. e tal. Nada de anormal em se tratando de um escritor, autor, de mais uma obra que seria esquecida uma semana depois. Daria um jeito de ser aceito na Academia, nem que fosse do fundo do meu quintal. E depois de farda e gala, encobriria minha fala e alguém diria que sou o tal. Mas que mal tem, em querer ser escritor, autor, de uma obra de pague minhas contas, que me livre da corda e da bala, que me livre do mal, e do amém? Que mal há? Ah, como eu queria saber escrever, como eu queria ser...
02/01/2017

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Respeite o Direito do Autor e Não Esqueça de Deixar um Comentário. É Importante o Retorno, o Sentimento do Leitor.